segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Como conversar com quem você ama


Para nos relacionar bem com quem amamos, para se ter uma boa conversa ou um dialogo bem sucedido estejamos atentos há algumas regras:

1. Esteja atento aos pensamentos e sentimentos.

“Sabeis isto, meus amados irmãos; todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”. (Tiago 1:19.) Se quisermos produzir relacionamentos carinhosos, precisamos tornar-nos bons ouvintes antes mesmo de pensar em como falar. A comunicação afetuosa envolve compreensão entre duas mentes e dois corações. Precisamos saber o que a outra pessoa está pensando ou sentindo, a fim de responder de um jeito que promova o bom relacionamento.
Ouvir é uma arte que não herdamos naturalmente; ela precisa ser cultivada. Primeiramente, não interrompa a outra pessoa até que ela acabe de falar. Quando estamos ouvindo, somos tentados a pensar em respostas e contestações. Por isso achamos que podemos interromper para defender nosso ponto de vista. Essa atitude transmite a mensagem: “Preocupo-me mais com o que estou pensando do que com o que você está dizendo”.
Em segundo lugar, preste toda a atenção ao que o ser amado está dizendo.
Naturalmente, isso não significa que devemos concordar com tudo o que ouvimos. Afinal, temos nossos próprios gostos . Mas podemos aceitar os julgamentos e sentimentos de outrem como representativos de seus pensamentos e emoções.”

Por fim, procure aperceber-se do significado da mensagem que esta recebendo .Saber ouvir é a receita certa para um bom relacionamento. Ouvir é respeitar as idéias a opinião do outro.

2. Seja tardio em falar.

Pense cuidadosamente sobre o assunto. Fale de modo que a pessoa possa entender o que você diz.
Ouvir atentamente ajudará na formulação da melhor resposta. Contribuirá para prevenir a tendência de dizer o que vem à mente sem reflexão sobre o assunto.
Uma maneira segura de conseguir o apoio do ouvinte é assumir a responsabilidade pelos sentimentos expressos.

Quando ouvimos bem o outro e damos espaço para que ele seja transparente ,criamos em nós também o discernimento necessário para quando falar,o que falar ,e não querer ter sempre a razão das situações.

3. Não transforme pontos secundários em pontos importantes.

Ninguém é perfeito. A pessoa amada provavelmente tem hábitos que você acha desagradáveis. Algumas pessoas tendem a dimensioná-los para caracterizar todo o relacionamento, usando descuidadamente palavras como sempre e nunca. “Você está sempre atrasado”. “Você nunca me elogia”. Essas são expressões extremadas e que não expressam a verdade.

Relacionamentos importantes precisam ser baseados em comunicação honesta. Portanto, não devemos exagerar as faltas dos outros, mas sempre dizer a verdade. Notem, porém: A verdade deve ser dita com amor, com caridade. “O amor….não se irrita, não suspeita mal”. (I Coríntios 13:5.) Ser totalmente honesto e ainda completamente bondoso é o segredo da verdadeira comunicação com aquele que se ama.

4. Não frustre o ser amado com o tratamento do silêncio.

Uma pessoa pode optar pelo silêncio por diferentes razões. Alguém pode querer punir a outrem, esperando que o problema desapareça se for ignorado. Pode achar que o silêncio vale ouro, porque com o tempo o problema se resolve por si mesmo, ou sentir que ficar calado fará alguma diferença.

Nenhuma das razões acima funciona — simplesmente erguem muros e barram a comunicação, o dialogo. Nem sempre o silencio é o melhor amigo. Sim ao dialogo,transparecer com fatos verdadeiros o que se sente é muito importante. Não se pode guardar para falar no outro dia o que não esta totalmente resolvido.

5. Aprenda a discordar sem brigar.

Duas pessoas nem sempre concordam em tudo. Mas quando você discorda da pessoa a quem ama, é possível fazê-lo de maneira calma e respeitosa, concentrando-se sobre o problema e evitando ataques. Dando oportunidades ao outro.
O amor não é um sentimento tépido e indistinto. O amor é a decisão de se preocupar com a outra pessoa e promover seu bem-estar. É querer fazer o outro feliz.
Por isso nem sempre podemos querer ser os donos da razão, discordar não é ser indiferente ao que o outro pensa.

6. Não responda quando estiver zangado.

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. (Provérbios 15:1.) “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira”. (Efésios 4:26.) :
1. Admita-o (isto é algo freqüentemente difícil de fazer). Precisamos assumir a responsabilidade por nossas emoções.

2. Analise-o objetivamente. Pergunte- se por que está tão contrariado. Por que essa explosão emocional? Ela faz sentido?
3. Aja de maneira inteligente e saudável, controlando suas emoções.
4. Abandone-a depois de reconhecer que a ira não compensa seu custo em estresse e relações prejudicadas. Não podemos mudar o que já aconteceu, mas podemos escolher como reagir a isso.

7. Confesse e peça perdão.

Quando duas pessoas estão intimamente ligadas, inevitavelmente já se ofenderam muitas vezes. Quando você sabe que está errado, admita-o e peça perdão. Mesmo que julgue não ser o culpado, expresse tristeza por seu relacionamento ter sido prejudicado e ofereça- se para fazer o que for para reparar o dano.

“Confessai vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis”. (Tiago 5:16.) É isso que as pessoas que se querem bem precisam fazer para manter forte e terno o relacionamento.
E quando alguém que você ama faz lhe confissão e pede perdão, perdoe-o de coração. Não espere até se sentir disposto. Toda vez que perdoar alguém, esqueça a ofensa e não volte à carga. Recapitular ofensas passadas impede que o relacionamento cresça.

8. Não censure.

Se você já fez críticas alguma vez, provavelmente descobriu que a outra pessoa se torna mais defensiva em relação a elas. As pessoas não mudam porque alguém quer que elas mudem. Elas o fazem quando possuem motivação interior. Não podemos mudar as pessoas para elas se tornarem como queremos que sejam, isto seria manipulação”.

4 “Na relação de casados, em vez de esperar que nossas necessidades sejam satisfeitas, precisamos procurar satisfazer as necessidades do cônjuge”.5
Se houver necessidade de mudança, uma das opções é sentar-se com a outra pessoa e de modo afetuoso, caridoso pedir ajuda e sugestões sobre como conseguir a mudança de atitude. Se for uma situação familiar, o tempo da reunião em família é o momento ideal para esse tipo de discussão.
9. Procure o lado positivo.

Talvez certos comportamentos da pessoa amada ou seus traços de caráter o irritem. A tendência natural é criticá la. É fácil culpar o outro por situações insatisfatórias. Mas isso simplesmente não funciona. Tendemos a pensar que se apontarmos as faltas do outro, ele ficará agradecido pela ajuda e procurará se reformar. Com efeito, a pessoa sempre buscará se defender. Uma relação nunca é favorecida pela imputação de culpa ao companheiro.
Ao contrário, as pessoas crescem quando são elogiadas por aquilo que estão fazendo direito. Descubra os pontos de caráter mais fortes no seu companheiro (a) e enfatize-os.

Os relacionamentos crescem quando dizemos a nossos namorados, noivos ,cônjuges, filhos ou a quem quer que seja, que os amamos e que eles são valiosos para nós. Quando eles reconhecem que são importantes, portam-se de maneira importante.

10. Reconheça que a pessoa amada tem o direito de ser diferente de você.

Deus aprecia a diversidade. Nós a vemos em toda a criação. Não há duas pessoas ou flocos de neve que sejam iguais. Não é preciso que os outros sejam como nós, embora sejamos um (como marido e mulher ou como família), contudo, cada um de nós é único e distinto. Se apreciarmos essas diferenças, poderemos ampliar nossa experiência e aprender como crescer. Onde a diversidade é respeitada e a singularidade afirmada, o amor floresce.
Recapitule essas dez dicas e assinale uma ou mais nas quais você gostaria de melhorar.

Com o auxílio de Deus, faça um esforço decidido para desenvolver maneiras novas e mais perfeitas de se comunicar com as pessoas que lhe são importantes.

Nenhum comentário:

CHAT - by google lively